Lendo a Bíblia de uma maneira inovadora

Dicas ótimas para você entender e transformar sua leitura da Bíblia.

Em um debate teológico com os PhDs religiosos de sua época, Jesus afirmou àqueles que alegavam ter Moisés como patriarca: “Se vocês cressem em Moisés, creriam em mim, pois ele escreveu a meu respeito” (João 5.46).É assim que você lê o Antigo Testamento? Como um escrito a respeito de Cristo?

A teologia bíblica molda nossa leitura das escrituras ao alinhá-la à leitura do próprio Jesus – a saber, a leitura da Palavra de Deus como boas novas historicamente fundamentadas a respeito da graça de Deus através do Filho de Deus para o povo de Deus, para a glória de Deus.

APRENDA A POSICIONAR O TEXTO DENTRO DA GRANDE HISTÓRIA

As lentes da teologia bíblica nos treinam a posicionar qualquer passagem no escopo da história única. Essa maneira de ler a Bíblia alegremente reconhece os diversos gêneros na Escritura – narrativo, poético, profecia, cartas. Embora a Bíblia não sejauniforme, ela é unificada. A teologia bíblica lê a Bíblia como um drama se desdobrando, tomando lugar no tempo e no espaço do mundo real, que culmina em um homem chamado Jesus – que disse que “tudo o que a meu respeito estava escrito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos” – uma expressão para todo o Antigo Testamento – “era necessário que se cumprisse” (Lucas 24.44).

6 MANEIRAS ERRADAS DE LER A BÍBLIA

De que outras maneiras podemos ler a Bíblia?

  • A Abordagem Mina de Ouro – ler a Bíblia como uma mina vasta, cavernosa e sombria, onde ocasionalmente tropeça-se em uma pedra de inspiração. Resultado: leitura confusa.
  • A Abordagem Heróica – ler a Bíblia como um hall da fama moral que dá um exemplo após outro de gigantes espirituais que devem ser imitados. Resultado: leitura desesperadora.
  • A Abordagem das Regras – ler a Bíblia procurando mandamentos para obedecer a fim de sutilmente reforçar um sentimento de superioridade pessoal. Resultado: leitura farisaica.
  • A Abordagem Artefato – ler a Bíblia como um documento antigo sobre eventos no Oriente Médio há algumas centenas de anos que são irrelevantes para minha vida hoje. Resultado: leitura chata.
  • A Abordagem Manual de Instruções – ler a Bíblia como um mapa que me diz onde trabalhar, com quem casar e que xampu usar. Resultado: leitura ansiosa.
  • A Abordagem Doutrinária – ler a Bíblia como um repositório teológico para sacar munição para meu próximo debate teológico na Starbucks. Resultado: leitura fria.

Existe certa verdade em cada uma dessas abordagens. Mas tornar uma delas a lente predominante é transformar a Bíblia em um livro que ela nunca se propôs a ser. A abordagem da teologia bíblica entende a Bíblia em seus próprios termos – a saber, que “todas as promessas de Deus encontram seu ‘Sim’ em Jesus” (2 Coríntios 1.20). Resultado: leitura transformadora.

A teologia bíblica te convida a ler a Bíblia entendendo qualquer passagem dentro da narrativa central que culmina em Cristo. A Bíblia não é primariamente mandamentos com histórias de graça salpicadas. É primariamente uma história de graça com mandamentos espalhados nela.

LENTES NOVAS SOBRE PARTES DIFÍCEIS DA BÍBLIA

Algumas partes da Bíblia, é claro, parecem nada ter a ver com essa história de graça.

  • COMO ENTENDER A MALDADE DE REIS ISRAELITAS E SACERDOTES DE DEUS? A resposta da perspectiva da teologia bíblica é essa: Lemos como histórias que gradualmente intensificam nosso desejo por um verdadeiro rei, um sacerdote final, que nos liderará como esses homens deveriam ter feito – verdadeiramente representando Deus para o povo (rei) e o povo para Deus (sacerdote).
  • COMO LER GENEALOGIAS? Como testemunhos da graça de Deus a indivíduos reais, levando as promessas de Deus em linhagens específicas de maneiras concretas, promessas que nunca falharam, e que, em última análise, encontram realização em Jesus.
  • COMO LER PROVÉRBIOS? Como boas novas de sábio auxílio de alguém para discípulos trôpegos como você e eu.

UM LIVRO DE BOAS NOTÍCIAS

Imagine cair de paraquedas no meio de um livro, lendo uma frase e tentando entender tudo o que essa frase diz sem posicioná-la no meio do romance como um todo. Isso confundiria o leitor, obscureceria o significado e insultaria o autor.

A Bíblia é o relato autobiográfico de Deus da sua missão pessoal de resgate para restaurar um mundo perdido por meio de seu Filho. Cada verso contribui com essa mensagem.

A Bíblia não é discurso motivacional. É Boa Notícia.


Texto de Dane Ortlund. Traduzido por Josais Jr | iPródigo
Fonte: http://iprodigo.com

Cristo, o incomparável!

Bolo da Amizade II – Esboço

Bolo da amizade, à moda de Rute

Texto básico: Rute 1.1-18

Nomes com significados especiais:

Rute = amiga, companheira;

Orfa = dar as costas;

Noemi = alegria, meu prazer.

Como fazer amigos? Sendo amiga. Não compre qualquer coisa por aí. Prepare você mesmo a receita para cultivar boas amizades.

Bolo da amizade

Separar os ingredientes:

Lançar fora! Nunca use no seu bolo:

  • O fermento velho da Maledicência (fofoca). Ela nasce de: ociosidade; curiosidade, inveja e amargura.

Quem muito fala trai a confidência, mas quem merece confiança guarda o segredo. Pv 11.13

O difamador separa os melhores amigos. Pv.16.28b

  • A farinha mofada do preconceito. Exemplo de Rute e Noemi. Amizades só surgem entre semelhantes? Não. Em Rute reforça-se a importância dos compromissos familiares e do relacionamento intergeracional.

Tenham uma mesma atitude uns para com os outros. Não sejam orgulhosos mas estejam dispostos a associar-se a pessoas de posição inferior. Não sejam sábios aos seus próprios olhos. Rm 12.16

  • A gordura maléfica do egoísmo, egocentrismo.

Quem se isola busca interesses egoístas e se rebela contra a sensatez.

Pv 18.1

  • O leite azedo da amizade por interesse (tirar proveito do outro).

Aqueles que se mostram fazendo tanto esforço para vos agradar não agem com boas intenções, mas o seu real propósito é vos isolar a fim de que sejais constrangidos a demonstrar vosso cuidado para com eles.Gálatas 4.17

Ingredientes essenciais para uma amizade verdadeira:

  • Massa da Fidelidade. Não exite bolo sem massa. É a própria essência da amizade.Exemplo de Rute.

Que o Senhor me castigue com todo rigor, se outra coisa que não seja a morte me separar de ti. Rt1.17

  • Manteiga do Autruísmo (desprendimento, abnegação) – a manteiga serve para untar o relacionamento e sem ela o bolo fica seco e duro. Interessar-se verdadeiramente pelo outro.

Aonde fores irei, onde ficares ficarei. Rt1.16

Prefiram dar honra aos outros mais do que a si próprios. Rm 12.10b. Exemplo: gente que fala demais não dá honra ao outro.

Fala com sabedoria, e a instrução da bondade está na sua língua..

Pv 31.26

  • Leite da Alegria – que dá sabor e dá umidade ao bolo pois fornece a água. Sorriso e bom humor atraem.

O olhar de amigo alegra o coração ; as boas novas fortalecem até os ossos. Pv. 15.30

  • Doce do perdão – que desfaz a amargura; não fique cobrando do outro o que ele fez ou deixou de fazer.

Aquele que perdoa uma ofensa, cobre a transgressão e demonstra amor, mas aquele que joga no rosto, separa melhores amigos. Pv 17.9

  • A clara sinceridade – que dá leveza à massa e deve ser acrescentada com delicadeza para que não se perca o ar. A repreensão sincera, deve ser feita em amor, e ao final, faz crescer a amizade.

Assim como o ferro afia o ferro, o homem afia o seu companheiro.

Pv 27.17

  • A gema da Unidade em Cristo – que dá a liga, estabiliza a massa, mistura ingredientes que sozinhos não iriam se misturar. Exemplo de Noemi. Exemplo de Paulo. A igreja é o maior exemplo de unidade entre diferentes.

O teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus. Rt 1. 16c

Pois é grande o desejo do meu coração de ver-vos, para compartilhar convosco algum dom espiritual, a fim de que sejais foortalecidos, quero dizer, para que eu e vós sejamos mutuamente encorajados pela fé.

Rm 1.11-12

  • A marca da Autenticidade. Amar-me como eu sou. Sem fingimento. Esforço para agradar.

O amor seja sem qualquer fingimento. Rm 12.9a

Não somos como Moisés, que se cobria com um véu sobre a face para que os filhos de Israel não observassem que o resplendor do seu rosto estava se dissipando. Mas todos nós, que com a face descoberta contemplamos, como por meio de um espelho, a glória do Senhor, conforme a sua imagem estamos sendo transformados com glória crescente, na mesma imagem que vem do Senhor, que é o Espírito.

2 Co 13.18