Notas de viagem

Viajar é sempre um prazer para mim. Viajens longas ou curtas, preferencialmente com a família. No feriado de 19 de março, estive em Quixadá, minha terra natal.
Eu queria registrar na minha cidade algumas imagens que para mim são maravilhosas!
 
Os monólitos quixadaenses sempre me chamaram a atenção. Lembro-me de que era motivo de grande satisfação, há alguns anos atrás, avistar suas siluetas originais despontando no horizonte, a cada viagem de volta à casa de meus pais, quando estudava em Fortaleza. Era a certeza de que em poucos minutos estaria em casa novamente. Isso é bom e doce de recordar.
 
Então, de posse da minha camera, fiz todas as fotos que pude. Essas formações rochosas são únicas. Esculturas de pedra talhadas pelo Criador com arte imponente. Aprendi a admirá-las depois que parti de lá. A distância nos faz enchergar melhor as coisas belas que estão ao nosso redor. Na minha infância, essas paisagens eram comuns. Eu tinha uma grande pedra no meu quintal, a Pedra do Cruzeiro. Quantas vezes nós crianças subíamos ali para brincar nos esconderijos, tendo o cuidado, é claro, de não se aventurar em subidas mais ousadas, já que a pedra também era cercada de mistérios e histórias fantásticas.
 
Desde 2002, o monumento natural dos monólitos de Quixadá é reconhecido por Lei federal, mas isso parece não ter garantido uma melhor preservação do patrimônio natural. Ainda vemos construções e inscrições de propagandas sobre os inselbergs, desconfigurando a paisagem e ameaçando o equilíbrio ecológico. É uma riqueza natural ainda pouco conhecida e aproveitada do ponto de vista do turismo.
 
Para mim foi um momento de contemplação. Também uma oportunidade de compartilhar na rede de amigos. Veja você mesmo.
 

Próxima Entradas mais recentes